Ouroboros

Ouroboros mandala design

E se renova a cada instante.

Pelo fogo que incendeia ela renasce.

Transforma o próprio ser em paráfrase.

De repente, serpente.

Morde com avidez o inicio,

O fim e os meios

Quer mudar o que passou

Quer dançar o que não dançou

Mas, ao final do dia, adormece

como uma criança.

Ri, com seu silvo ondulante,

Chora uma morbidez irritante

Respira e vê: a vida é como

Tem de ser;

De repente, sê gente.

Anúncios