Por enquanto

(3) Tumblr

Enquanto a música não termina, eu tamborilo meus dedos impacientemente

Nos espaços que você deixou aqui.

Enquanto a chuva inunda o jardim do quintal e mata

Aquela rosa vermelha que plantei, tento matar

O que restou da última vez em que nos vimos.

Enquanto o sono dorme em meu peito, entorpecendo a vontade

De sair por aí e deixar o sol aquecer minha pele

Eu deixo o tempo passar e remendar todas as feridas

Da minha mente

[É que saí de lágrimas para ler gente].

Enquanto eu não sei de suas manias e velhices,

Escuto pela milésima vez a música do começo e

Continuo tamborilando os dedos nos espaços que você deixou

– Tão bonitos, mas não meus –

Enquanto eu vejo seu rosto em todos os lugares,

Em todas as casas,

E em cada esquina e azulejo do banheiro,

Paro e fico como náufraga a lhe procurar

Como sinal de fuga ou farol a iluminar meu caminho.

Corro risco por todo esse choro

Corro risco por todo esse amor

Corro risco por toda e qualquer

Saudade sua.

Enquanto nossos encantos não cantam um dueto,

Fico, por enquanto, adiando sua partida do meu coração.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s