Introducing: Acaso

Tenho as melhores amigas do mundo e a sorte aumentou quando descobri que uma delas lançou um blog maravilhoso sobre contos e poesias. Me orgulho muito dela e gostaria de dividi-la um pouquinho com vocês: 

Era um dia desses que parece ser bem comum eu acordei, lavei o rosto, penteei o cabelo, troquei de roupa, tomei café e sai. Dia nublado, a temperatura era agradável, pessoas irritadas porque a semana estava apenas começando.

– Ei táxi…

Trabalho, sempre o mesmo: ouvir, escrever, ouvir de novo e escrever de novo. Na hora do almoço, o mesmo prato. Parecia que a rotina seria a mesma, porém algo mudou. Precisei ir até o shopping dar um pulinho rápido na livraria, compra mais um daqueles livros enormes com teorias de Freud, mas o que queria mesmo era dar um pulo na seção de literatura inglesa do século XIX.

Entre prateleiras e corredores um livro gloriosamente enorme chamou minha atenção e abaixei para pegá-lo, quando voltei á estatura normal, o semblante era familiar, sim eu conhecia aquelas sardas, mas quem era?

Os olhos que habitavam o andar de cima das sardas olharam-me fixamente. Sim, também conhecia, mas evitei os olhares e fui pagar os livros.

No caixa ao lado, ele, com Fernando Pessoas em mãos.

– Moça, desculpe-me, mas qual é seu nome?

Corada, respondi:

– Olga.

Com um enorme e simpático sorriso, olhou-me novamente com aqueles olhos verdes e perguntou:

– Ainda coleciona bolinhas de gude, menina?

Sim, realmente o conhecia. Era Gustavo, meu vizinho, quando criança. Brincávamos de bolinha de gude na calçada em frente a minha casa, um dia ele e a família mudaram-se, eu enfurecida e indignada porque perderia meu amor de infância e amigo, briguei com ele e levei todas as bolinhas embora e, nunca mais o vi, até aquele momento.

– Olga, podemos tomar um ou dois cafés, e discutir poesia?

Apontando para o livro.

Pois é, velhos hábitos nunca mudam, uma vez nerd, nerd para sempre e por isso aceitei.

Rimos lembrando do passado, rimos da situação, ora veja o dia nublado iluminou-se. Quem diria que aquele dia tão comum terminaria com:

– Olga, desculpe a curiosidade, mas tem compromisso com alguém?

Monique Wolff não dispensa um bom livro e uma bela caneca de café. Ama o fato de ser nerd e passa horas e horas refletindo sobre Jane Austen. Quer saber um pouco mais sobre ela? Ela é dona do Sorrindo Para Escrever. Quando tiver um tempinho, passa lá? Você não vai se arrepender!

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s