Sobre músicas depressivas e amores platônicos

Quando ouvimos a expressão “Amor Platônico” geralmente vem em nossa mente a imagem daquela garota apaixonada – por um artista, um garoto mais velho ou até mesmo aquele colega de escola que não sabe de sua existência – trancada no quarto, sonhando acordada, planejando um futuro inteiro com o ser amado, sorrindo sem explicação.

O termo “Amor Platônico” vem de Platão, filósofo grego que desenvolveu a tese de que quando nos admiramos por algo (ou alguém), logo passamos a amá-lo. Projetamos o nosso amor (antes admiração) e todas as qualidades cabíveis a um ser humano, em alguém inacessível ou até mesmo de nosso convívio. O ser amado passa a maior parte do tempo em nossa mente, ou seja, o relacionamento é apena fictício.

Como tudo na vida tem dois lados, o Amor Platônico não fica para trás: há pontos positivos e negativos. Os pontos positivos acontecem quando mesmo apaixonada, a pessoa tem noção de que se o relacionamento ficar apenas no imaginário, dificilmente ocorrerá na vida real. A pessoa não deixa de realizar suas atividades, de sair com os amigos e também está disposta a se relacionar com outras pessoas.

Porém, quando ela passa a idealizar demais a pessoa amada (enxergando apenas qualidades e nunca defeitos), deixa de se concentrar e realizar as atividades que geralmente fazia antes do ser amado aparecer em sua vida. Quando se dá conta todas as pessoas com quem tinha laços afetivos se afastaram, pois ela deixou de colocar seus compromissos em primeiro plano e não faz outra coisa além de pensar no amado; isso pode ser algo bom para quem o faz, porém não passam de situações negativas.

Geralmente o Amor Platônico acontece quando as pessoas são muito tímidas ou têm medo de serem rejeitadas caso se declarem para a pessoa amada.

É importante não se apegar a alguém que não nos ama, pois além de sofrermos bastante, perdemos uma parte preciosa de nossa vida em vão, quando poderíamos ocupar nossas mentes com coisas mais proveitosas e menos superficiais.

Não adianta ficar horas e horas chorando e escutando música melancólica para “afogar a mágoas”: se não nos arriscarmos, viveremos para sempre presos  em alguém que não se dá conta do amor intenso que sentimos.

O Amor Platônico é um sonho, uma fantasia. Uma hora ou outra ele vai embora, mais rápido do que quando chegou.

Devemos aproveitar nossa vida ao máximo, valorizando quem nos valoriza, pois algum dia o verdadeiro amor aparecerá!

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s