Sobre bons princípios e carros importados

Ela sonhava com um namorado todos os dias. Alguém que tivesse bom gosto para filmes, livros e músicas. Que a protegesse de todo o mal existente no mundo. Alguém para cuidar, amar, rir, chorar, dançar, sair, viver. Passava e repassava mentalmente todos os dias a cerimônia de casamento perfeita: em uma praia, apenas os amigos e parentes mais próximos, um vestido leve de renda branca na altura dos joelhos, um buquê de margaridas, o noivo lindo e emocionado no altar… E essa era a parte que mais a encabulava: o noivo.

Ela nunca se relacionara com ninguém. Acreditava que a espera é a mãe de todas as coisas e, afinal, ela merecia um garoto sério. Mas como arrumar um garoto sério para namorar em um mundo onde o amor passageiro prevalece? Aquele amor desperdiçado em baladas, bebedeiras e que vai de uma boca para outra como se não significasse nada? Ela achava isso ridículo. Queria um relacionamento duradouro e por isso sofria. Sofria por não ser compreendida pelas outras meninas da mesma idade, sofria por ser romântica em demasia. Sofria por querer o certo.

Enquanto suas amigas passeavam com homens em seus respectivos carros importados, Laura lia romances trancada no quarto. Sentia-se acolhida, confortável, amada mesmo que por um personagem ficcional. Colocava-se no lugar das mocinhas que recebiam juras de amor eterno e imaginava se um dia seria ela a recebê-las. Laura tinha bons princípios. Não gostava de coisas banais que apenas meninas banais fazem (como o fato de se relacionarem com garotos apenas por interesse). Laura possuía algo que nunca seria tirado de seu coração: esperança. Esperança de que um dia encontraria seu amor num café qualquer. Esperança de que eles conversariam por horas e horas e não veriam o tempo passar. Esperança de ser beijada suavemente em uma tarde de verão e de abrir os olhos para uma vida nova. Esperança de ser feliz ao lado de um amor verdadeiro que fizesse seu coração palpitar acelerado como na primeira vez em que se viram. Pode parecer bobagem, mas era com isso que ela sonhava: coisas simples da vida que vêm sem nenhum preço.

Laura era inteligente, bonita, meiga e tinha os cabelos loiros mais bonitos que alguém já vira. Conseguia ser bonita sem esforço. Só pelo fato de ser do jeitinho que era. Simples. Sem exageros.

Acalme-se Laura! Não se desespere para encontrar o garoto dos seus sonhos… Como você mesma diz “a paciência é a mãe de todas as coisas”.

Anúncios

2 thoughts on “Sobre bons princípios e carros importados

    • Fazer coisas com pressa só acarreta consequências ruins. Do que adianta ficar desesperada para arrumar alguém e acabar com o coração partido, né? (ou na pior das hipóteses um mala). Tudo é uma questão de tempo…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s